Flores do Oriente & Frango Xadrez

Já é público e notório que eu sou apaixonada pelo Cinema Asiático. Acho interessante como eles conseguem mostrar os sentimentos de maneira tão absolutamente incrível.

E assim se fez no filme que falaremos hoje, do querido diretor chines Zhang Yimou, já conhecido por seus dois filmes mais famosos “O clã das adagas voadoras” e “Herói”. Flores do Oriente contou com a participação do incrível Christian Bale no elenco, acredito que para ter maior alcance mundial, pois geralmente não temos atores de outras nacionalidades em produções chinesas. O filme, baseado no livro de mesmo título da escritora Yan Gelling (que foi também a roteirista do filme), teve o maior custo de produção do cinema chines. Cerca de um milhão de dólares.

815bede4fbdccdaea234998cf0e2c2c7

“No outono de 1937, tendo conquistado Xangai…
os japoneses voltaram os olhos para a capital chinesa, Nanquim.
Estabelecendo um capítulo negro na história da humanidade…
mais de 200 mil pessoas perderam a vida…
em uma impiedosa batalha pelo controle da cidade.
Sob terríveis condições, pessoas comuns lutaram pela sobrevivência.”

Bale é John Miller, um agente funerário que foi enviado a China para enterrar um padre em plena tomada do país pelo Japão. Ao chegar ao convento, encontra 13 meninas que ali estudavam. Adolescentes chinesas que estão agora a mercê do exército japonês. No início desse encontro John se monstra amistoso com as regalias, bebidas e conforto que o convento oferece. As coisas começam a se abalar quando um grupo de prostitutas, fugidas do prostíbulo da cidade, invadem o convento em busca de abrigo. As 12 belas mulheres e as meninas entram em alguns conflitos durante o período inicial do filme, pois temos meninas criadas sob uma religião e mulheres ‘da vida’ convivendo no mesmo espaço.

the-flowers-of-war05

A guerra em si é mostrada com muita veracidade por Yimou. As sangrentas batalhas, onde os japoneses são mostrados na sua máxima crueldade são constantes. Até hoje há uma rixa entre os dois países por conta dessa guerra. O exército japonês não poupava ninguém, seja uma doce menina, uma mulher na rua ou qualquer passante. Todos eram eliminados, muitas vezes, com requintes de crueldade.

A cada minuto passado, vamos nos emocionando com aquelas meninas tão frágeis e a saga desse homem, que estava ali apenas por acaso e que toma pra si a vida de todas essas pessoas em busca de uma fuga ou libertação. É interessantíssimo como é possível retratar a doação do ser humano em prol dos outros em um momento de tamanha tensão, como a guerra.

Bale surpreende o expectador com uma atuação digna de um mestre, ao defender o convento e todos que ali estavam, tentando ser mais forte que toda a explosão da guerra e os traumas que isso iria deixar.

abbf6764-e9be-11e2-bfce-005056b70bb8

Confesso que fiquei com o coração na mão e muitas lágrimas nos olhos. Os filmes orientais tem esse dom, de nos emocionar, ensinar e fazer com que compreendamos melhor que a vida é muito mais que apenas uma porção de dinheiro ou pensar só em si mesmo. Se doar pelos outros, abraçar uma causa, defender-se de uma guerra (mesmo que metaforicamente) não é algo para qualquer um. Mas deveria ser.

Frango Xadrez

Preparo: 60 min
Serve: 4

Ingredientes

  • 500 g de peito de frango cortado em cubos
  • 2 cebolas em cubos
  • 1 pimentão verde em cubos 1 pimentão vermelho em cubos 1 pimentão amarelo em cubos
  • 200 g de champignon
  • 2 dentes de alho
  • 1/2 xic. de shoyu
  • Azeite de oliva (cerca de 2 colheres)
  • Sal a gosto
  • Pimentas pretas moídas 1 colher de sopa de maizena diluída em 1/2 xíc. de água
  • 1 colher de sopa de maizena diluída em 1/2 xíc. de água

Modo de Fazer

  1. Em um panela aqueça o azeite de oliva e refogue o frango até ficar bem corado. Em seguida adicione o alho e a cebola. Deixe dar uma corada de leve, pois tudo tem que ficar crocante. Coloque os pimentões e por último os champignons. Tempere com o sal, a pimenta do reino e por fim regue com o shoyu. Deixe cozinhar por uns 5 minutos, mexendo no meio do tempo. Quando os vegetais estiverem cozidos, mas ainda al dente, coloque a maizena que foi diluída na água e mexa bem por mais 1 minuto. Terás então um caldo mais grosso e brilhante. Está pronto. Sirva com arroz branco ou com o acompanhamento que preferir.

Você também pode gostar de:

Nenhum Comentário

    Comente com o Facebook