Song One & Falafel

Para quem gosta de filmes com uma trilha sonora linda, Song One é um prato cheio. Eu amo filmes que tenham músicas, sejam tocadas, cantadas, tipo Once e Begin Again. Tem um momento do filme que começa a tocar “My baby just cares for me” da Nina Simone e quero ver quem que não se atira no chão gritando e cantando junto. Sim, eu sou dessas. Porém sou do team que detesta musicais, onde as pessoas ficam conversando-cantanto-vivendoavida-indonomercado. Me irrita profundamente, shame on me.

Vamos começar ouvindo essa para ir lendo o post?

Franny (Anne Hathaway – gente, eu amo Anne, me deixa) é uma antropologa que está no Marrocos no meio de uma pesquisa e recebe uma ligação de sua mãe informando que seu irmão mais novo sofreu um acidente e está hospitalizado em coma. Ela volta para os Estados Unidos onde começa uma outra viagem: para dentro da vida do irmão.

one77_00_40_42_00017

Recorrendo a todas as coisas que tem acesso sobre ele (e dele), como seu quarto, seu diário e suas gravações, ela começa a investigar e conhecer melhor quem era o próprio irmão, para que, de alguma forma, consiga fazer com que ele desperte do coma.

Com um roteiro bem conduzido e de uma sensibilidade incrível, ela vai nos levando junto a todas suas descobertas. Que música ele gostava, o que ele tocava, onde ele se refugiava, para quem ele escrevia, o que ele sentia, o quanto ele falou com ela através de algumas músicas e cds gravados, e, principalmente, quem era seu grande ídolo: James Forester.

song_one2

Então ela acha um ingresso para um show do moço, marcado no diário do irmão. Vai até lá, com o cd demo nas mãos, acaba por ver a apresentação e no final, entrega para ele o cd, contando o que houve com o irmão. No dia seguinte, James aparece no hospital. E a cena mais fofa da terra é que ele começa a tocar uma música para o garoto em coma. E você fica pedindo peloamordedeus para que ele acorde. Seria tipo Damien Rice cantando para mim num quarto de hospital e eu não sabendo de tudo aquilo. Pensa.

song_one3

Surtos a parte, a partir daí começa uma interessante relação de Franny e James. Eles compartilham histórias, jantares, idas a casa da mãe, shows, esperanças e, até, alguns beijos. Pois é. Nunca se sabe de qual cartola vai sair o coelho.

O filme é de uma poesia musical absurda, sentimentos a flor da pele e diálogos emocionantes.

song_one1

Curiosidade:
Johnny Flynn, que faz o papel de James Forester, é realmente músico. É o vocalista da banda de folk-rock inglesa Johnny Flynn & The Sussex Wit. Johnny canta no nosso coração desde que conhecemos ele no filme. <3

Trailer:

Falafel, minha gente, que coisa mais gostosa que passei a amar depois que virei vegetariana.

Quase um ano já, orgulho próprio MODE ON. Conheci muita coisa boa depois que deixei de comer carne. Não, não estou dando discurso chato, apenas querendo contar a vocês que muita coisa mudou, meu paladar mudou muito. Nunca fui muito carnívora, mas comia sim, carne animal. Depois de um longo tempo de reflexão e de achar que eu gostava mais de brócolis que um bife e de olhar para os meus cães e imaginar eles em um espeto na China eu resolvi que a MINHA ESCOLHA para vida era não mais consumir nenhum tipo de carne animal.

Inclusive se quiserem muitas boas receitas vegetarianas indico o blog da minha amiga Priscila Darre, o Culinarístico.

Bom, voltando ao falafel, eu fiz uma primeira vez e deu tudo errado, receita errada, eu errada, ansiedade e tudo aquilo que a gente faz quando algo na cozinha não sai bem. Dessa vez a coisa deu tão certo que já repeti a receita algumas vezes. Ela veio do site Sabores de Israel e é simplesmente incrível. Também fiz os pães pita ensinados lá e logo logo eu posto aqui para vocês.

E o que isso tudo tem a ver com o filme? Porque o Falafel é uma comida originária do oriente médio e, como no filme aparecem panquecas americanas ( já temos isso aqui no blog), resolvi dar uma linkada na viagem de Franny ao Marrocos.

Judeus e árabes discutem a origem do falafel.

Há quem diga que Israel “roubou” o falafel dos árabes. Outros dizem que grupo algum tem o direito de ser proprietário de um bolinho de legumes frito. Dizem que o falafel é uma comida do Oriente Médio, originária do Egito e que se espalhou por Marrocos e Arábia Saudita.

(Informação do site Demodelando)

Vamos a receita?

ArrowArrow
ArrowArrow
Slider

Falafel

Prep Time: 15 mins
Cook Time: 30 mins
Yields: 18

Ingredients

  • 2 copos de Grão de Bico (cru. não cozido)
  • 6 dentes de Alho amassados
  • 2 colheres de chá de Bicarbonato de Sódio
  • 1 copo de coentro picado (não coloquei porque eu ODEIO coentro, beijos Jê!)
  • 1 copo de Salsa picada
  • 1/2 cebola média bem picada
  • 1 colher de sobremesa de Cominho
  • 1 colher de chá de Páprica
  • 1 colher de Sopa de Pimenta síria
  • Sal a gosto
  • 4 colheres de sopa de farinha de trigo (para dar liga à massa)
  • Óleo para fritar

Modo de Prepato

  1. Lave bem os grãos para que fiquem bem higienizados e coloque de molho, no mínimo, por 12 horas.
  2. Depois do descanso, lave bem os grãos novamente.
  3. Em seguida bata todos os ingredientes no processador de alimentos. Caso ache que não está dando liga, adicione um pouco mais de farinha.
  4. Deixe na geladeira a mistura por 1 hora (muito importante!)
  5. Molhe as mãos com água e modele as bolinhas.
  6. Frite em óleo médio, nem quente, nem frio, por alguns minutos, virando os bolinhos até que fiquem com a cor que vemos na foto.
  7. Escorra no papel toalha e sirva.

Nenhum Comentário

    Comente com o Facebook