Blue Jasmine & Risoto de Alho-poró e Brie

Um dia desses uma grande amiga (beijos Jê!) esteve em minha casa para jantar e ela é uma das pessoas que sabem que eu não gosto do Woody Allen. Aliás, quase todo mundo sabe, mas com ela consigo ter altos papos sobre isso, pois apesar dela gostar dele, temos alguns ótimos diálogos. Fato é que disse a ela que tinha assistido Blue Jasmine, porque eu sou insistente, eu acabo assistindo os filmes do W.A nem que seja para falar mal, ou até para quem sabe um dia conseguir gostar de um. Pois não é que aconteceu? Gostei muito de Blue Jasmine. Eu já tinha dado um crédito para ele quando colocou meu querido Hemingway em “Meia-noite em Paris” de uma forma poética e com uma cena que sempre revisito e a culpa de eu ter assistido ao Meia-noite foi da Moni (beijos Moni!), uma outra amiga minha.

blue-jasmine-2

Com quem eu tenho que dormir para conseguir um martini com toque de limão?

Depois de todo esse blablablá inicial para elucidar meu desamor pelo senhor Allen, eu vou falar mais uma coisa: eu me sentia obrigada a assistir Blue Jasmine , pois lá estava uma das atrizes que mais admiro no mundo: Cate Blanchett. Se fosse de todo ruim, eu sabia que ela salvaria o filme de alguma forma. E salvou.

cate oscar

O filme começa de forma claustrofóbica, com Jasmine em um avião, contando a vida dela a uma senhora velhinha que faz questão de demonstrar que não está aguentando mais o papo e mesmo assim a egocêntrica protagonista segue falando sem parar.

Jasmine perdeu tudo, está falida e pobre, porém, nunca perde a pose. Pede abrigo a irmã, a qual sempre teve um certo desprezo, por ser pobre e cafona. Achei muito interessante a personagem da irmã, vivida pela Sally Hawkins, Ginger é uma mulher alegre, esperançosa e divertida, mesmo levando uma vida difícil, tendo um namorado doido, dois filhos capetinhas e ter perdido o único grande dinheiro que conseguiu na vida, por confiar no cunhado ( ex-marido de Jasmine) que era um canalha enganador.

Allen usa muito os flashbacks, como sempre, nesse filme e isso é uma das coisas que me cansam. A gente já entendeu e ele insiste em ficar explicando com cenas do passado. (tá eu precisava criticar em algum lugar, né? haha).

blue-jasmine-1

Interessante observar que nesse filme os personagens masculinos são os que mais são irritantes. Nem Jasmine com todos os seus chiliques pode irritar mais que o namorado de Ginger, com o amigo mala, que dá em cima da moça. Além do dentista tarado que assedia horrorosamente a nova funcionária e o ex-marido (vivido pelo Alec Baldwin) que é um sujeito da pior espécie.

Enfim, para concluir, eu acho que valeram os momentos de risadas, apesar de não ser uma comédia, podemos dizer que é tragicômico.

No mais, Cate tem uns surtos incríveis que demonstram o quanto ela entrou no papel e vestiu a pele de Jasmine, uma mulher que tenta a todo custo manter a vida que tinha, aquela vida de plástico, que faz que não vê as traições do marido porque lhe é vantajoso, que desconsidera a parte pobre da família, que mente para conseguir o que quer e que mesmo na miséria anda de malas Louis Vuitton e bolsa Hermès.

Trailer:

Como naquela noite espetacular, que contei no começo do post,  eu fiz para jantar um risoto de alho-poró com queijo Brie é ele que acompanha o filme hoje. Além do mais, acho que Jasmine iria aprovar o menu. Com vinho branco e uma saladinha de tomates doces doces e alface americana. Vamos lá?

risoto queijo brie

Risoto de Alho-poró e Queijo Brie

Preparo: 60 min
Cozimento: 30 min
Serve: 2

Ingredientes

  • 1 xíc. chá de arroz arbóreo ou carnaroli
  • 1/2 cebola pequena picada
  • 4 colher de sopa de manteiga
  • 1/2 xíc. de vinho branco
  • 1 litro de caldo de legumes
  • 150 g de champignons fatiados
  • 1 talo de alho-poró em rodelas
  • 120 g de queijo brie
  • Azeite de oliva Sal a gosto Pimenta do reino branca 1 colher de sopa de tomilho fresco picado
  • Sal a gosto Pimenta do reino branca 1 colher de sopa de tomilho fresco picado
  • Pimenta do reino branca 1 colher de sopa de tomilho fresco picado
  • 1 colher de sopa de tomilho fresco picado

Modo de Fazer

  1. Comece refogando a cebola e o alho-poró no azeite e uma colher de manteiga. Seu caldo já deve estar pronto e aquecido. No refogado adicione o arroz e mexa bem. Coloque o vinho e deixe evaporar. Tempere com o sal e a pimenta. Jogue o tomilho picado. Aos poucos vá colocando o caldo, sempre. Depois de uns 20 minutos o arroz já estará no ponto. Adicione os champignons. Por último coloque a manteiga e o queijo brie, com o risoto já fora do fogo. Sirva em seguida.

Comentários no Facebook