Fallen Angels & Noodles de Legumes

Eu lembro quando vi o primeiro filme de Wong Kar-Wai. Por incrível que pareça, eu não assisti eles na cronologia certa da obra do diretor. O mais interessante foi que mesmo tendo visto a trilogia que termina em 2046 ao contrário, os filmes dele são únicos, apesar de terem links um com os outros. Muitas vezes você acha que facilmente um personagem poderia habitar outro filme dele. É aquela coisa mágica de sem saber de quem era o filme, você pode dizer: isso é um filme de Kar-Wai.

fallen_angels_cozinhaemcena (6)

Fallen Angels é um filme de 1995, como uma câmera que clama por urgências, assim como os seus personagens, Kar-Wai vai nos levando a conhecer algumas pessoas, suas solidões e seus devaneios. Com uma direção de fotografia genial de Chris Doyle, o filme consegue passar sensações incríveis, com cenas por vezes até silenciosas. Ambientado em Hong Kong, Fallen Angels tem como história principal a vida de uma dupla de assassinos profissionais. Ele, Wong Chi-Ming (Leon Lai), mata, ela (Michele Reis) limpa. Ela prepara, ele executa. Ambos são como sócios, mas mal sabia ele, aquele homem solitário e soturno que ela era apaixonada por ele.

Ainda somos parceiros?
Somos parceiros há 155 dias.
Hoje é a primeira vez que nos sentamos lado a lado.
Quase nunca nos vimos.
Eu sei bem que os homens não conseguem controlar a sua paixão.
Talvez nunca nos devêssemos ter envolvido emocionalmente…

Kar-Wai é o rei em criar personagens solitários. A solidão abraça cada um de seus personagens, enquanto ele os coloca formatados de algum dos lados da tela. A sensação de estar só é muito muito visível no modo de filmar desse genial diretor. Realmente nos leva a ter aquela impressão de que não se tem nada mais além da própria companhia.

fallen_angels_cozinhaemcena (1)

Em outra história, que temos dentro do filme, temos o personagem de Takeshi Kaneshiro, Ho Chi Moo, um cara meio doido, que escapou da prisão e ficou mudo depois de comer uma lata de abacaxis em calda, que estavam fora da data de validade. Fazendo aqui uma menção aos abacaxis de Chungking Express, já que Fallen Angels era para ser mais uma história dentro de Chungking, porém, o diretor resolveu fazer outro filme dele. Ainda bem. Ho Chi Moo é um cara excêntrico, ele entra a noite em lojas e restaurantes e as abre, para que as pessoas possam consumir coisas. Além disso ele dirige um divertido caminhão de sorvete, onde temos as mais insanas cenas. Ele mora com o pai, com quem te uma relação de muita admiração e amor. As cenas dos dois são realmente de chorar no canto da tela. O que vem para provar que ele era um cara de um coração enorme que só queria fazer o bem, fazendo os outros se sentirem bem e, muitas vezes, ele se machuca muito por conta disso. Como quando ele conhece uma maluca nas suas andanças noturnas e se apaixona por ela. Uma das melhores e mais verdadeiras cenas de como a pessoa se sente quando se enamora por alguém. Até cheirar o cabelo da pessoa já é um bálsamo.

fallen_angels_cozinhaemcena (7)

Quem me conhece sabe que eu sou muito musical, que a minha vida é embalada por uma trilha sonora enorme e em Fallen Angels há momentos incríveis nesse âmbito. Um épico passeio de moto com fundo de “Only You” dos Flying Pickets é uma das coisas mais bonitas da história do cinema e essa imagem não vai sair nunca mais da sua cabeça.
Wong Kar-Wai mostra mais uma vez sua maestria em fazer com que a gente acumule sensações e esperanças sobre a vida e o amor. Ele nos leva pela mão e as vezes a solta, mas a gente sabe muito bem que quer pra sempre ver outro e mais outro filme desse diretor chines primoroso.

fallen_angels_cozinhaemcena (3)

Por todos os lados, se bem olharmos, veremos os anjos caídos tentando se encontrar. Assistam. =)

Hoje teremos Noodles de Legumes para acompanhar o filme. Porque Michele Reis come enigmaticamente uma cumbuca deles em uma cena muito boa do filme, dá vontade de comer, então, vamos comer!

 

Noodles de Legumes

Tempo de Preparação: 20 mins
Tempo de Cozimento: 30 mins
Serve: 2 pessoas

Ingredientes

  • 250 g de macarrão (usei udon)
  • 100 g de brócolis
  • 100 g de cogumelos fatiados
  • 100 g de vagem fatiada
  • 100 g de pimentão amarelo picado
  • 100 g de cebola cortada em cubos
  • 100 g de cebola cortada em cubos
  • 2 dentes de alho pequenos amassados
  • 100 g de cenoura em fatias finas
  • 100 g de repolho fatiado
  • 50 ml de shoyu
  • 1 xíc. de chá de água
  • 1 colher de sopa de amido de milho
  • Sal
  • Pimenta do reino
  • Azeite de oliva
  • 2 litros de água para o cozimento da massa

Como fazer?

  1. Coloque a água em uma panela para ferver
  2. Cozinhe a massa conforme indicação da embalagem. Escorra.
  3. Em uma panela wok (ou qualquer outra que tenhas) coloque um fio de azeite.
  4. Refogue a cebola e o alho rapidamente. Adicione a cenoura, a vagem e o brócolis e tampe por alguns minutos em fogo baixo. Tempere com o shoyu, sal e pimenta.
  5. Em seguida coloque o pimentão, o repolho e os cogumelos. Adicione 1/2 xícara de água. Mais uma vez abafe com a tampa e deixe cozinhar por uns 4 minutos.
  6. No restante da água adicione a colher de amido de milho e mexa bem.
  7. Acrescente aos legumes esse liquido e mexa por alguns minutos até obter um caldo brilhante e bonito.
  8. Misture a massa já cozida aos legumes, mexa bem e sirva em seguida.

5 Comentários

  • ☾ LUA ☾ 8 de dezembro de 2015 (22:18)

    Como adoro esse blog ^^

    • Sara Graciano
      Sara Graciano 9 de dezembro de 2015 (13:18)

      Lua minha querida, obrigada por sempre vir nos visitar aqui. Beijao!

  • Priscila 8 de Janeiro de 2016 (16:08)

    Estou apaixonada pela fumacinha da foto do Noodles.

    • Sara Graciano
      Sara Graciano 8 de Janeiro de 2016 (16:09)

      <3 muito se deve as suas dicas e conselhos fotográficos.

  • Gab 27 de Janeiro de 2016 (22:10)

    Acho q vi esse filme contigo…qdo morávamos juntas na Ipiranga. Me recordo q nunca tinha assistido algo do cinema asiático e me apresentaste então….me mostrando q não só EUA fazem cinema…aliás, depois disso abri meu leque para cinema francês, espanhol e de outros países europeus…. confesso q latinos foram poucos! Mas ao menos abriu minha mente para algo maior…. e a massa é sempre uma excelente pedida! Mas estamos de dieta, atum pra janta! bj

Comente com o Facebook