“Away from Her” & Risotto ao curry

Esse filme de 2006 é dirigido pela sensacional Sarah Polley, é seu primeiro projeto com o diretora. Antes disso, já a conhecíamos pelas excelentes atuações em filmes como “Minha vida sem mim” e a “A vida secreta das palavras”, ambos de uma das minhas diretoras favoritas: Isabel Coixet.

O filme fala sobre um casal que está  junto há 45 anos: Grant (Gordon Pinsent) e Fiona (Julie Christie). Mas não se trata de um casamento morno, sem graça, já desgastado pelo tempo. É aquele tipo de relação que todo mundo imagina para o resto da vida: eles continuam rindo juntos, dançando no meio da sala, conversando muito e se amando como se fosse no começo.

Ela perguntou:
“Acha que seria divertido se nos casássemos?”
E o que você disse?
Eu aceitei.
Eu nunca quis estar longe dela
Ela tinha a faísca da vida.

Fiona está com Alzheimer e com o passar do tempo a doença vai se agravando, o que leva ela a pedir que Grant a deixe viver em um “asilo” que cuida de pessoas doentes. Ele, mesmo contrariado, aceita o pedido da mulher.
Até que ponto é possível fazer com que o amor sobreviva, mesmo vendo que a pessoa está se esvaindo por conta de uma doença que simplesmente faz com que ela esqueça de tudo e se afaste totalmente do outro? É aí que  mora a poesia do filme, da vida. O amor sem o apego. É possível?

film

A receita que acompanha o post hoje é um Risoto ao curry com tomates uva e manjericão. Por que o curry é uma mistura de mais de 20 condimentos e ervas, o que faz dele um tempero completo e de sabor muito original. Assim como o amor, por mais que não se perceba, é um conjunto de coisas que faz você amar alguém.

risoto_curry

 

Risoto ao Curry

Prep Time: 60 mins
Cook Time: 30 mins
Serve: 2

Ingredientes

  • 1 xíc. chá de arroz arbóreo ou carnaroli
  • 100 gr. de tomates uva partidos ao meio
  • Folhas de manjericão fresco
  • 1 cebola pequena picada
  • 2 dentes de alho amassados
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • Azeite de oliva
  • Queijo parmesão ralado
  • 1/2 xíc. de vinho branco
  • 1 litro de caldo de legumes
  • 2 colheres de café de curry
  • Sal a gosto

Modo de Preparo

  1. Leve as cebolas para refogar no azeite até que fiquem transparentes. Junte o alho, deixe fritar um pouco. Adicione o arroz e mexa para que ele se incorpore na mistura. Adicione o vinho e mexa até que ele evapore. Aos poucos vá colocando o caldo e mexendo sempre. Coloque sempre uma concha por vez e misture até que o líquido comece a secar.
  2. Quando estiver prestes a colocar a última concha de caldo (isso deve levar em média 15 a 20 minutos), adicione os tomates uva e o curry. Por fim, com o fogo já desligado, adicione a manteiga, mexa bem. Coloque as folhas de manjericão e misture. Sirva imediatamente com queijo parmesão ralado. ;)

Comentários no Facebook

6 Comentários

  • Dai 27 de maio de 2012 (16:09)

    Esse filme é todo um amor, né? Não uma paixão fulminante, acesa. Mas o amor que aquece os dias de sentido, que faz cada manhã reerguer a vida, mesmo quando as coisas não são tão perfeitas. bela escolha. E o risoto, nossa, deu água na boca. Beijo, amiga.

  • Cássia Pires 27 de maio de 2012 (16:27)

    “Por que o curry é uma mistura de mais de 20 condimentos e ervas, o que faz dele um tempero completo e de sabor muito original. Assim como o amor, por mais que não se perceba, é um conjunto de coisas que faz você amar alguém.” Que coisa mais linda! Nunca mais sentirei o gosto do curry do mesmo jeito. =) E esse filme é belíssimo mesmo.

    Doce beijo.

  • Michele Xavier 28 de maio de 2012 (00:50)

    Chorei muito nesse filme, principalmente porque essa doença muito me toca. E o amor dele é tão grande que o faz abrir mão dela.
    Lindo post.

  • Gourmet 28 de maio de 2012 (09:22)

    Que post lindo, menina! Não vi este filme mas depois de sua recomendação, vou ver.

  • Rachel 28 de maio de 2012 (09:58)

    Uau Sara, deu uma vontade doida de provar esse risotto…o filme ainda não assisti, vou ver se encontro, fiquei bastante curiosa!
    Bjuss!!!

  • Ana Paula 28 de maio de 2012 (21:28)

    Que lindo post…tu estavas inspirada,guria! Este risoto deve ser algo de bom! Vou ver o filme! Eu não sei se é possível o amor sem o apego, embora digam que amar é deixar livre…eu, sou 100% apego (por enquanto!!!) Bjkas, amada!