Mary and Max & Nega Maluca

O australiano Adam Eliot assina a direção e criação dessa belíssima animação que é Mary and Max. Toda feita de massinha, ela nos transporta para o mundo vivido por Mary uma menina solitária, de 8 anos, moradora da Austrália, que resolve abrir a lista telefônica, apontar o dedo em um nome e escrever uma carta para essa pessoa.

(…) ele disse que eu teria que aceitar a mim mesmo, meus defeitos e tudo o mais e que nós não escolhemos nossos defeitos, eles são parte de nós e nós temos que viver com eles. Mas nós podemos escolher os nossos amigos e eu fico feliz por ter escolhido você.

Essa pessoa era Max, um gordinho também solitário, morador de Nova York. Com a carta, Mary manda uma barra de chocolate e uma pergunta: “De onde vêm os bebês nos Estados Unidos”?

mary_and_max1

Baseado em uma história real, essa primeira carta iniciará uma amizade e uma série de correspondências que durará 10 anos. Quem nunca teve um amigo assim?

Deus nos dá familiares. Ainda bem que podemos escolher nossos amigos.

E o que esses dois tem tanto em comum? Uma forma depressiva de encarar a vida. Sendo assim, um começa a se tornar o consolo do outro com relação a vida. Das conversas mantidas nas cartas, falam de amor, da sociedade, da família, solidão,  suicídio, alcoolismo, obesidade e a depressão.  Max era um chocólatra assumido e era portador de Síndrome de Asperger – uma espécie de autismo – além disso gostava muito de cachorro-quente. Com seus 160 kg, o judeu nova-iorquino mora com um gato que faz o que bem entende e um peixe que vira e mexe morre e é substituído por outro, sempre usando o mesmo nome.

mary_and_max4

Uma troca incrível é vista nessa amizade que não tem meio termo: Mary e Max conversam das mais diversas coisas abertamente e ao longo dos anos vão conseguindo se manter de pé devido a isso. Mary está virando uma mulher e ele envelhecendo. Porém, a pureza e o profundo e sincero sentimento que há entre eles, só aumenta. É como aquela velha história de você poder conversar com alguém sem nenhum tipo de barreira ou sigilo, você simplesmente pode ser você.

A fotografia é um caso a parte no longa: para o mundo de Mary temos tons marrons, já que era a cor preferida da menina, para o mundo de Max, temos os cinzas e pretos de uma grande cidade.  As coisas que selam a amizade dão cor a história, como o desenho que Mary manda pra Max que fica colorido e uma toca para ele colocar em cima do quipá, aparece com o pompom vermelho.

mary_and_max3

Com essas pequenas simbologias, Eliot quer nos mostrar como a vida pode ficar colorida quando temos um amigo ao nosso lado. Ela fica mais leve, mais fácil de ser levada.

Bem longe de ser uma animação para crianças, Mary and Max tem tamanha profundidade que você termina de vê-la e fica dias e mais dias pensando nisso. Posso até de dizer que anos. Ou até arrisco falar que você nunca vai esquecer esse filme.

Trailer:

Mary e Max amavam chocolate. Por isso hoje, trago junto a esse filme uma receita que me remete a amizade, que é uma Nega-maluca que aconchega os corações, com cobertura de leite condensado (também uma das coisas que Mary amava comer).

Vamos nessa?

nega maluca

Nega Maluca

Preparo: 60 min
Cozimento: 40 min
Serve: 4

Ingredientes

  • 3 ovos
  • 2 xíc. de farinha de trigo
  • 2 xíc. de açúcar
  • 1 xíc. de chocolate em pó
  • 1 xíc. de óleo (usei de coco)
  • 1 xíc. de água fervente
  • 1 colher de café de bicarbonato de sódio 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • Cobertura: 1 lata de leite condensado
  • 4 colheres de sopa de creme de leite
  • 4 colheres de chocolate em pó Confeitos para decorar.
  • Confeitos para decorar.

Modo de Fazer

  1. Pré-aqueça o forno a 180º.
  2. Peneire em uma tigela a farinha de trigo, o açúcar e o chocolate em pó. Misture tudo formando uma ''farinha'' só.
  3. Bata os ovos até dobrarem de volume e ficarem espumosos. Adicione o óleo e um pouco da água, vá adicionando aos poucos a farinha, batendo bem. Vá colocando o restante de água e farinha até que termine. Coloque o bicarbonato e por fim o fermento em pó.
  4. Leve ao forno por aproximadamente 40 minutos.
  5. Cobertura: Cozinhe na panela de pressão o leite condensado contando 30 minutos quando iniciar a fervura. Deixe esfriar bem a lata para abrir. Misture o creme de leite e o chocolate em pó e adicione o leite condensado. Mexa bem até que fique tudo bem misturado. Espere o bolo esfriar, passe a cobertura e salpique com os confeitos.

Você também pode gostar de:

Comentários no Facebook

Nenhum Comentário