Le conseguenze dell’amore & Nhoque

O cinema italiano já teve grandes tempos. Leia-se: a obra toda de Fellini e Ettore Scola. Hoje em dia, eles lançam alguns filmes de comédias românticas, alguns bem interessantes, do tipo entretenimento para quem está a toa sem vontade de pensar muito. Em contrapartida, lembrei de outro filme lindo e doloroso (e de uma maestria de roteiro e direção) italiano: O quarto do filho. Lembram?

Enfim, estou falando tudo isso para dizer que vez por outra surge no cinema italiano um filme que te deixa pregado na tela e pensando sobre ele semanas e semanas depois. Foi isso que aconteceu quando vislumbrei “As consequências do amor” (Le conseguenze dell’amore) de 2004, o título até parece que veremos algum romance, mas não, gente, não, esse filme é um drama com uma mistura de suspense muito bem conduzido pelo diretor Paolo Sorrentino.

O filme se passa as voltas da vida de Titta di Girolamo (Toni Servillo) um solitário homem que vive há alguns anos em um hotel na Suíça. Sua principal característica: não se aproxima muito das pessoas. Senta no bar do hotel e sempre que há alguma tentativa de aproximação de outros seres, ele se retrai. Só abre um pouco a guarda para um casal de idosos com quem joga cartas a noite. O olhar de Titta nos resume apenas uma coisa: tédio. Pode ser pela vida que leva, ou ainda, nos faz imaginar que sente tédio pelos outros também.

Ficamos então naquela expectativa de saber quem é esse homem tão misterioso, o que ele faz da vida, porque se comporta dessa forma? E tudo vai ficando cada vez mais intenso, quando uma vez a cada semana ele recebe uma mala no seu quarto de hotel. Depois disso, desce a garagem, tira a capa de uma BMW luxuosa e segue para um local onde algumas pessoas sentadas em volta de uma mesa ficam a contar o dinheiro que estava dentro da ‘bagagem’. Curioso. Na realidade, curiosos ficamos nós para saber onde tudo isso vai chegar.

Temos ainda algumas pitadas de máfia, um romance velado com a atendente do bar (que ao meu ver foi o que conseguiu mostrar um pouco de sensibilidade no protagonista), até dias determinados para usar drogas e ir ao shopping, insônia e cigarros. Sacou a loucura da coisa toda?

Procure e assista, depois volta aqui e me conta o que achou. =)

Para acompanhar o filme eu escolhi uma receita de nhoque. Nada mais italiano que nhoque! Nada mais italiano que uma receita do mestre de Jamie Oliver e que tanto amamos Gennaro Contaldo! Meu ídolo, muso-mor. Eu tenho sérias quedas pela cozinha italiana, vai ver é por conta do sobrenome que herdei e o sangue que rola aqui nessas veias. Amo a Itália e espero um dia dar uma passeada por lá.

nhoque

Nhoque de Batatas

Preparo: 60 min
Cozimento: 40 min
Serve: 4 porções

Ingredients

  • 1 kg de batatas  (escolha batatas mais ou menos do mesmo tamanho, para que cozinhem ao mesmo tempo)
  • 2 gemas
  • 300 g de farinha de trigo
  • 1 colher sopa de sal
  • Pimenta branca

Modo de Fazer

  1. O molho foi feito de um modo bem simples: cebola  e alho refogados, tomates batidos no liquidificador e adicionados a mistura e deixado fervendo por uma hora. Adicionava água quente sempre que preciso. Temperei com sal e pimenta do reino e por fim decorei com o manjericão.

Não poderia eu explicar melhor que Gennaro vejam o vídeo e aprendam como se faz:

https://youtu.be/LRmPcaGAG0s

Você também pode gostar de:

Comentários no Facebook

Nenhum Comentário